Radio Alvorada FM Ao Vivo.

DATA E HORA

PAGINA INICIAL

ATENÇÃO LEITORES:

ATENÇÃO: A DIREÇÃO DO BLOG ALONSOBISORÃO DEIXA CLARO QUE NÃO SE RESPONSABILIZARA PELOS COMENTÁRIOS POSTADOS NAS MATÉRIAS PUBLICADAS NESTE BLOG, TODOS FICARÃO CIENTES QUE AO PUBLICAREM QUALQUER COMENTÁRIO INADEQUADO OU OFENSIVO, QUE O MESMO SERÁ DE SUA INTEIRA RESPONSABILIDADE. ATENCIOSAMENTE A DIREÇÃO DO BLOG ALONSOBISORAO.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Comandante da PM esclarece ação da polícia que resultou na prisão de Gustavo.

 Capitão Félix, comandante da 3ª Cia de PM.
Soldados Bispo e Auciomar relataram que foram insultados por Gustavo no GPM de Massapê-PI.
Em entrevista ao portal Cidades na Net, o capitão Lindomar Félix, comandante da 3ª Companhia de Polícia Militar, falou sobre a ação policial que resultou na prisão do enfermeiro Gustavo Alves Marreiros na noite do último sábado dia (12/10/2013).
Segundo relatou o comandante, a ação policial teve início após Gustavo ter parado o veículo - Gol, de cor preta - em frente ao GPM da cidade de Massapê do Piauí, provocado e insultado com ameaças e palavras ofensivas os soldados Auciomar e Bispo, que estavam de serviço.
Gustavo saiu em alta velocidade e foi iniciada a perseguição. Em frente ao posto de combustível, Gustavo fez menção de jogar o carro contra a viatura. Os policiais chegaram a descer da viatura. O motorista empreendeu nova fuga rumo à cidade de Jaicós e foi acompanhado. O soldado Bispo, que estava na viatura, afirmou que não tentou interceptar o veículo na estrada, para evitar que Gustavo aumentasse a velocidade e um risco de capotamento.
Segundo relatou o comandante, uma barreira policial foi montada na entrada da cidade de Jaicós-PI pelos soldados Paulo César, Francinilson e Carlos Bento, com o objetivo de interceptar o veículo Gol. Gustavo, porém, não obedeceu às ordens policiais e jogou o veículo contra a viatura, e por pouco, não provocou um acidente.
As duas viaturas seguiram em perseguição até a residência de Gustavo, no Bairro Serranópolis, na cidade de Jaicós. “Logo que o Gustavo desceu do veículo, em frente a sua residência, ele foi abordado pelos policiais e recebeu voz de prisão, mas reagiu com violência. Segundo relatou os soldados, ele aparentava sinais de embriaguez alcoólica e estava muito agressivo. Por isso foi necessário usar da força moderada para imobilizar”, informou o comandante. Segundo relatou o capitão Félix, na tentativa de imobilizar o enfermeiro, os policiais Francinilson e Paulo César foram lesionados.
Contido pela polícia, Gustavo foi conduzido até a Delegacia e autuado em flagrante, ainda na madrugada, por de lesão corporal contra os PMs, resistência e ameaça. “Diante das infrações que ele cometeu, ele tinha que ser conduzido para a Delegacia para serem tomadas as providências legais. Esse é o papel da Polícia Militar”, pontuou. O delegado Antônio Nilton arbitrou uma fiança no valor de R$ 2 mil e Gustavo foi liberado para responder o processo em liberdade.
Sobre as informações veiculadas de que os policiais teriam agredido e arrastado a irmã e no pai de Gustavo, o comandante lamentou e manifestou repúdio. “Sou altamente contra a qualquer tipo de violência, de arbitrariedade. Se houve no momento de sua prisão algum abuso de autoridade, invasão de domicílio ou qualquer outro delito cometido pelos policiais militares, tudo será apurado em procedimento da PM. Se ficar comprovado que agiram com rigor desnecessário, eles vão responder administrativamente e criminalmente. Tudo isso será devidamente apurado obedecendo aos parâmetros da ampla defesa e do contraditório”, informou Félix.
NOTÍCIA RELACIONADA:
FONTE: http://cidadesnanet.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário