Radio Alvorada FM Ao Vivo.

DATA E HORA

PAGINA INICIAL

ATENÇÃO LEITORES:

ATENÇÃO: A DIREÇÃO DO BLOG ALONSOBISORÃO DEIXA CLARO QUE NÃO SE RESPONSABILIZARA PELOS COMENTÁRIOS POSTADOS NAS MATÉRIAS PUBLICADAS NESTE BLOG, TODOS FICARÃO CIENTES QUE AO PUBLICAREM QUALQUER COMENTÁRIO INADEQUADO OU OFENSIVO, QUE O MESMO SERÁ DE SUA INTEIRA RESPONSABILIDADE. ATENCIOSAMENTE A DIREÇÃO DO BLOG ALONSOBISORAO.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Produtores pagam DIESEL de máquinas do (PAC) para construírem estrada.

Preocupados em não ter como escoar a produção de mais de 165 milhões de toneladas de grãos na região Sul do Piauí, produtores do cerrado estão investindo cerca de R$ 50 mil do próprio bolso para construir uma estrada que liga a BR-135 a rodovia transcerrados no município de Currais-PI, a 640 km de Teresina-PI. A situação é ainda mais grave já que os próprios agricultores estão pagando o combustível para os tratores do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), doados pelo Governo Federal para a prefeitura municipal.
De acordo com o produtor Abel Pieta, proprietário da Fazenda União, a sensação é de "mãos amarradas", já que houveram várias tentativas de diálogo com a prefeitura, porém nada foi feito.
"Estamos com as mãos amarradas, sem muita alternativa. O prefeito diz que buscou o governo mas não deixou uma resposta. A colheita está chegando e não podemos esperar a estrada precisa ser feita pois os caminhões não tem condições de chegar até a rodovia. Qualquer chuva, buracos enormes impedem a passagem", relatou o produtor.
Segundo ele, cerca de cinco produtores estão reunidos para custear a obra. "São cinco fazendas unidas fornecendo os próprios caminhões para a obra, além de pagar o diesel para os tratores da prefeitura. Fora isso temos montado um local onde é feita a comida para os trabalhadores da estrada. Só em combustível estimamos um gasto de R$ 15 mil, sem contar os gastos com nossos tratores que não contabilizamos", acrescentou o agricultor.
Abel explica que sem a construção da estrada, os custos com o transporte dos grãos, além de provocar prejuízos poderiam refletir no valor repassado aos consumidores, já que os caminhoneiros aumentariam o preço do frete pelas más condições de circulação na estrada.
"Nós precisamos fazer isso porque a quantidade de grãos é imensa e se não fosse feita o prejuízo seria imensurável. Os caminhoneiros aumentariam o frete e a gente não saberia o tamanho desse prejuízo", pontuou.
O produtor explica que o prefeito havia prometido em reuniões a construção da estrada, porém recentemente teria alegado falta de condições na prefeitura para executar a construção. "Nos reunimos com ele e ele falou que faria duas vezes e agora começa a colheita e não temos como escoar o produto. Ninguém assume a estrada porque eles dizem que não tem condições", acrescentou.
Abel lamenta a situação e questiona o que é feito com os impostos pagos pelos produtores. "Pagamos um ICMS muito caro, impostos altíssimos e não vemos resultado. Para onde vai o dinheiro?? Não sabemos dizer", desabafou.
O Cidadeverde.com tentou contato com o prefeito Raimundo Santos, mas não obteve retorno.
PUBLICADA POR: Alonso Bisorão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário