Radio Alvorada FM Ao Vivo.

DATA E HORA

PAGINA INICIAL

ATENÇÃO LEITORES:

ATENÇÃO: A DIREÇÃO DO BLOG ALONSOBISORÃO DEIXA CLARO QUE NÃO SE RESPONSABILIZARA PELOS COMENTÁRIOS POSTADOS NAS MATÉRIAS PUBLICADAS NESTE BLOG, TODOS FICARÃO CIENTES QUE AO PUBLICAREM QUALQUER COMENTÁRIO INADEQUADO OU OFENSIVO, QUE O MESMO SERÁ DE SUA INTEIRA RESPONSABILIDADE. ATENCIOSAMENTE A DIREÇÃO DO BLOG ALONSOBISORAO.

sexta-feira, 28 de março de 2014

Sete piauienses são resgatados de trabalho escravo em São Paulo.

 
 
Sete trabalhadores piauienses foram resgatados, na quarta-feira (26/03/2014), em condições análogas à de escravos em obra de uma escola da Prefeitura de São Paulo-SP. Segundo o dirigente da Central Sindical e Popular (CSP-Conlutas), Atnágoras Lopes, todos os operários são da cidade de Barras e estavam vivendo em péssimas condições, sem receber salários e sendo ameaçados.
"Nós ficamos sabendo da situação dos trabalhadores pela mulher de outro operário resgatado no início do ano em Brasília-DF. Ela nos ligou contando da exploração vivida por um dos pedreiros e nos passou o contato. Imediatamente falamos com ele e marcamos um encontro na obra", contou.
Atnágoras Lopes lembra ter recebido um vídeo feito pelos próprios operários mostrando o alojamento em que eles viviam. O dirigente disse também que visitou o local e se deparou com um ambiente pequeno, sem local apropriado para dormir, banheiro improvisado, sem ventilação e alimentos jogados embaixo da pia. "Esse registro foi no início de março e após coleta do material abrimos um protocolo na Superintendência Regional do Trabalho de São Paulo, mas após receber ligações dos operários relatando as ameaças e ver que nada tinha sido feito, resolvemos nós mesmos retirarmos os trabalhadores daquele lugar", destacou.
Os piauienses foram levados para prestar queixa na delegacia e relataram as condições insalubres nas quais eram submetidos, além das ameaças que estavam sofrendo nos últimos dias após passarem a cobrar o salário. De acordo com o representante da Central, a carteira de trabalho e outros documentos pessoais dos trabalhadores foram retidos pelo 'gato', pessoa responsável pela contratação dos operários.
"Esta é a terceira vez que resgatamos operários nesta situação somente este ano. Outros casos foram registrados também em São Paulo e Brasília. Ao todo, dos 51 trabalhadores salvos, 44 são de Barras-PI e estes dados já foram encaminhados para denúncia nacional no órgão da presidência da República. Chama cada vez mais atenção que Barras-PI tenha se tornado hoje exportadora do trabalho escravo", ressaltou.
Um dos setes operários resgatados falou ao G1como era a sua rotina e das ameaças que sofria. Antônio Francisco do Nascimento, de 30 anos, contou ser o mais velho do grupo, tendo o mais jovem 19 anos, e aceitou ir para São Paulo após a promessa de receber o salário de R$ 4 mil. "O gato conhecido como Johny fez várias promessas e no dia 25 de janeiro já estavamos em São Paulo trabalhando. Em 40 dias na obra, com carga horário de 17h diárias, o único dinheiro que recebemos foi R$ 1 mil, que eles descontaram a passagem, alimentação e nossa hospedagem, ou seja, não ficamos com nada", recordou.
O operário comentou que as ameaças começaram quando os trabalhadores passaram a cobrar os salários atrasados. Antônio disse ter ouvido por várias do 'gato' para pararem de reclamar, pois ele andava armado e se os operários continuassem, alguém iria morrer. "Estamos aliviados de sair daquele lugar, agora só queremos receber nossos direitos e voltar para nossas famílias no Piauí. Queremos danos morais pelo o que sofremos, além do salário atrasado", completou.
O caso dos trabalhadores está sob investigação da Polícia Civil de São Paulo e uma reunião foi marcada com a prefeitura para que ela tome providência.
POSTADA POR: Alonso Bisorão.
FONTE: http://g1.globo.com/pi

Nenhum comentário:

Postar um comentário