Radio Alvorada FM Ao Vivo.

DATA E HORA

PAGINA INICIAL

ATENÇÃO LEITORES:

ATENÇÃO: A DIREÇÃO DO BLOG ALONSOBISORÃO DEIXA CLARO QUE NÃO SE RESPONSABILIZARA PELOS COMENTÁRIOS POSTADOS NAS MATÉRIAS PUBLICADAS NESTE BLOG, TODOS FICARÃO CIENTES QUE AO PUBLICAREM QUALQUER COMENTÁRIO INADEQUADO OU OFENSIVO, QUE O MESMO SERÁ DE SUA INTEIRA RESPONSABILIDADE. ATENCIOSAMENTE A DIREÇÃO DO BLOG ALONSOBISORAO.

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Floriano-PI não está inserida na região de suspensão da exploração de gás.

O prefeito de Floriano-PI, Gilberto Junior e o secretário de governo, Cezar Pedrosa, participaram na manhã desta segunda-feira, 28/04/2014, de uma audiência pública em Teresina-PI promovida pela Rede Ambiental do Piauí (REAPI), em parceria com o Ministério Público Federal do Piauí MPF e a Assembleia Legislativa do Estado.
A audiência pública discutiu os riscos que a exploração do gás de Xisto (gás de folhelho) representa para a saúde humana e para o meio ambiente. A exploração de gás se dá de 2 formas: 1. Convencional (cavação normal de poços) e 2. Não convencional (fraturamento hidráulico), também chamado de fracking. Essa técnica é a utilizada para o gás de xisto (rocha profunda e muito dura e que precisa de uma pressão de água como uma explosão interna muito grande, podendo causar danos ambientais).
Sobre isso, de acordo com o Serviço Geológico do Brasil, somente a poucos anos os Estados Unidos desenvolveram a técnica de fraturamento hidráulico, que já foi proibida na França, na Bulgária, em vários locais da Espanha, na Alemanha e em Nova Iorque. No Piauí, a preocupação é com a poluição dos cursos de água ao utilizar a técnica, o que faria diferença no período da seca.
Atendendo a uma representação da Reapi (Rede ambiental do Piauí), o Ministério Público Federal entrou com uma ação civil pública pedindo a suspensão da exploração de gás xisto (por fraturamento hidráulico) que pudesse decorrer da 12º Rodada de leilão da ANP realizado em novembro de 2013. A justiça concedeu uma liminar suspendendo a exploração do bloco PN-T-597.
Mas isto não significa que a dizer que a exploração de gás em Floriano está suspensa, pois ficou esclarecido na audiência que a exploração do gás na região de Floriano não é de gás de xisto como foi apontado anteriormente pelas entidades. Porque Floriano-PI não está inserida na região de suspensão da exploração de gás, nem o modo de exploração convencional está suspenso.
Os 14 blocos leiloados na região de Floriano-PI (ver mapa da 11ª rodada) foram na 11ª rodada (em maio de 2013) e não na 12ª rodada (em novembro/2013); O bloco PN-T-597, cujo edital abre a possibilidade de exploração não-convencional, está situado no Estado do Maranhão (ver mapa da 12ª rodada); Segundo informação do Sr. Moura Fé, que tirou todas as dúvidas na audiência pública, não há qualquer empresa fazendo uso de fraturamento hidráulico no Brasil. Segundo o próprio Moura Fé, nenhuma empresa nem sequer pediu licenciamento ambiental para exploração de gás de xisto no Piauí.
Como o bloco é no Maranhão e pequena parte no município de Urucuí-PI, segundo ele, também não há qualquer licenciamento ambiental para essa exploração no estado vizinho. Como envolve os dois estados, o licenciamento tinha que passar pelo Piauí e ser submetido à apreciação para licenciamento nacional.
“Acreditamos que toda a polêmica foi causada por um equívoco da assessoria de comunicação do MPF que, em notícia divulgada sobre a ação judicial, informou que "Floriano-PI está inserida dentre os referidos blocos oferecidos para futura exploração". Isto trouxe enorme ansiedade e inquietação não somente para a população de Floriano, que vislumbra uma nova realidade social e econômica para toda a região, sem falar em possível dúvida de empresários e investidores que se preparam para apostar na região,” disse Gilberto Júnior, prefeito de Floriano-PI.
POSTADA POR: Alonso Bisorão.
FONTE: http://www.floriano.pi.gov.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário