Radio Alvorada FM Ao Vivo.

DATA E HORA

PAGINA INICIAL

ATENÇÃO LEITORES:

ATENÇÃO: A DIREÇÃO DO BLOG ALONSOBISORÃO DEIXA CLARO QUE NÃO SE RESPONSABILIZARA PELOS COMENTÁRIOS POSTADOS NAS MATÉRIAS PUBLICADAS NESTE BLOG, TODOS FICARÃO CIENTES QUE AO PUBLICAREM QUALQUER COMENTÁRIO INADEQUADO OU OFENSIVO, QUE O MESMO SERÁ DE SUA INTEIRA RESPONSABILIDADE. ATENCIOSAMENTE A DIREÇÃO DO BLOG ALONSOBISORAO.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Enéas diz que quer transparência do prefeito Gilberto sobre empréstimo.

A semana passada a área política em Floriano-PI foi marcada pela votação na Câmara Municipal do Projeto de Lei 004/2013 o qual autoriza o Poder Executivo a contratar financiamento junto ao Banco do Brasil até o valor de 7 milhões de reais.
Em entrevista ao vivo na Rádio Santa Clara AM no último sábado, 13, o líder político e bioquímico Enéas Maia fez um alerta e avaliação sobre o que aconteceu na Câmara Municipal e disse que foi um momento preocupante para quem vive em Floriano, é florianense e contribuinte diante da forma como foi conduzido todo processo do empréstimo de 7 milhões.
“Existe um programa, uma linha de crédito federal chamado Provias para municípios de até 50 mil habitantes, fornece pouco mais de 1 milhão de reais através dessa linha de crédito para aquisição de uma série de equipamentos na área de infraestrutura”, enfatiza o líder político.
Enéas Maia falou ainda que para as cidades com mais de 50 mil habitantes como é o caso de Floriano, a linha de crédito chega até 3 milhões de reais e pode ser feito um empréstimo para aquisição de uma série de equipamentos, sendo mais de 50 itens na área de infraestrutura.
O bioquímico afirmou que foi feito o projeto falando sobre esse crédito, sobre esse empréstimo, mas não no valor do teto que o programa estabelece que é de 3 milhões e sim no valor de 7 milhões.” Não se sabe quais serão realmente os itens que serão adquiridos e quais os equipamentos que serão comprados porque não estão dizendo no projeto que foi à Câmara”, explica.
Enéas Maia enfatizou ainda que os vereadores Allan Pedrosa, Miguel Vieira, Maria Daguia e Maurício Bezerra têm dito em plenária que é como se o florianense estivesse assinando um cheque em branco para que a gestão atual utilizasse esse recurso sem especificar o que eles irão adquirir.
“Outro fator estranho foi a urgência com que o executivo utilizou do seu poder para conduzir um processo no legislativo. Passaram por cima do regimento da Casa chegando ao cúmulo de uma PL diretamente ligada à infraestrutura não ter passado pela Comissão de Infraestrutura da Câmara, talvez porque a mesma é presidida pelo vereador Alan Pedrosa, do PSDB que é oposição”, diz.
Enéas Maia falou que o projeto foi votado em duas instâncias e que na primeira foi aprovado pela bancada da situação, enquanto a oposição se negou aprovar esse projeto; no entanto o regimento da Câmara diz que é necessário 72h para fazer uma nova convocação para se votar novamente o projeto em segunda instância. “O que não aconteceu, atropelaram o regimento”, afirma.
O líder político declara que finalizaram uma sessão, reabriram uma nova sessão e fizeram a votação do projeto. “Isso nos causa estranheza, muita preocupação; foi um momento triste para Floriano e o que mais me deixa preocupado é que isso ocorre logo após grandes movimentações e protestos contra procedimentos dos políticos no Brasil inteiro”, explica.
“Vimos multidões indo às ruas protestar exatamente contra casos como estes que estão acontecendo em Floriano. E isso a população tem que estar alerta porque o que está sendo discutido é dinheiro público e a forma como foi conduzido o processo é ilegal e antiética.”, afirma.
Enéas Maia disse que ele, o vereador Allan Pedrosa e todo grupo o qual faz parte não são contra a aquisição de equipamentos e máquinas para limpeza pública e usina de asfalto.
 “Somos completamente a favor inclusive defendemos isso com veemência desde que nos tornamos figura pública na nossa cidade, no entanto precisamos da garantia que todo esse recurso será aplicado da forma correta, queremos transparência do prefeito Gilberto quanto ao empréstimo de R$ 7 milhões”, enfatiza. Enéas Maia disse que não podem deixar com que discorra sem ter a legítima clareza e transparência que é o que necessita para um caso como esse.
“Passamos por um período eleitoral onde o candidato e atual prefeito de Floriano falou durante toda campanha que deveria ser eleito porque tinha o apoio da presidenta da República, do governador do Estado, de secretário de Estado, deputados federais e estaduais, senadores, ou seja, tinha o apoio de todos os poderes em todos os níveis em nosso país para governar Floriano e através disso trazer benefícios”, explica.
O bioquímico questionou ainda o porquê não conseguir esse maquinário sem deixar o município mais sobrecarregado de dívidas e fazer esse empréstimo se poderia conseguir através dessas parcerias.
“Floriano-PI hoje tem casos urgentes e vem sofrendo bastante pela péssima qualidade dos serviços básicos e pela falta de oportunidade e de renda nas suas regiões mais carentes”, explica.
Enéas Maia enfatizou ainda fazer oposição consciente porque não está para procurar o quanto pior melhor. “Estamos querendo realmente que essa cidade cresça que é a nossa terra, onde agente vive, trabalha e tem nossa família, mas queremos que as condições de nossa cidade sejam cada vez melhores, mas que se tenha também transparência e o melhor planejamento na forma como é conduzido nosso município”, diz.
Por Jaquelina Nascimento.
IMAGEM: Jaquelina.
FONTE: http://piauinoticias.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário